FATAL FURY Não É O Que Parece!

Foi INJUSTAMENTE Abandonado Pela SNK 😡😲

Pensa em uma franquia maravilhosa, mas abandonada há mais de duas décadas.

Fatal Fury foi o início do império da SNK nos jogos de luta, mas quis o destino que ela caísse no limbo do esquecimento do espaço tempo.

Uma vez que KOF caiu no gosto do povo, a SNK praticamente abandonou todo resto. Um erro grotesco na minha opinião.

Felizmente, alguns erros podem ser corrigidos, e antes tarde do que nunca, a SNK anunciou que um novo Fatal Fury, está em pleno desenvolvimento.

Fatal Fury foi um ao mesmo tempo um fenômeno no Neo Geo, e também um game subestimado no cenário geral dos jogos de luta.

Mas se a SNK quer trazer a franquia de volta à vida, é por um bom motivo.

Seria por amor? Pelo legado? Uma homenagem histórica?

Claro que não, certeza que é porque ela viu a chance de fazer dinheiro, com uma propriedade intelectual incrível que estava jogada às traças.

Hoje é dia de conhecer a origem de Fatal Fury, e vai ser agora, só vem!

E ae, tudo bem com vocês? Espero que sim, eu sou o Ed e sejam bem-vindos a mais um vídeo, você chegou no aperte start!

Eu sou um cara apaixonado por videogames e quero dividir tudo sobre esse mundo incrível com vocês, então tmj, e vambora!

Andy Bogard, Billy Kane, Duck King, Geese Howard, Hwa Jai, Joe Higashi, Michael Max, Raiden / Big Bear, Richard Meyer, Terry Bogard, Tung Fu Rue.

Esses são todos os personagens do primeiro fatal fury, lançado em 91.

Fatal Fury carrega a fama, muito injusta por sinal, de ser apenas mais um game que foi no embalo do sucesso de Street Fighter 2, como se fosse um clone ou um primo pobre do game da Capcom.

Envelheceu Mal

O primeiro game em particular, para muita gente cai naquela onda de “envelheceu mal” ou ainda que tem mecânicas duras, falhas e desbalanceadas.

Levando em consideração os critérios do que é um bom jogo de luta hoje, não acho que sejam críticas sem motivo.

Mas não dá para criticar um jogo sem levar em conta o contexto que ele foi criado. Quando Fatal Fury começou a ser desenvolvido, Street Fighter 2 não existia.

Praticamente nenhum jogo de luta que virou sucesso existia ainda.

A referência de jogo de luta, era o primeiro street fighter de 87, que é um jogo de digestão bastante complicada.

Fatal Fury ajudou a abrir o caminho para os jogos de luta modernos, e ele tem uma ligação profunda e paternal com a franquia Street Fighter.

Nós já voltamos nesse assunto, antes a gente tem que entender como foi que tudo começou.

Em janeiro de 1990 nascia o Neo Geo, e se tem um videogame que carrega a fama de ser um console para quem gosta de jogos de luta, esse console é o Neo Geo.

Apesar da fama, o Neo Geo não foi criado pensando em games de luta.

✨👉 FATAL FURY Não É O Que Parece! Continua no Youtube!

Como SONY e PS4 Aplicaram O NOCAUTE Mais Rápido Da história?

Fazer tudo errado tem uma vantagem. Da próxima vez, você sabe exatamente o que fazer, basta fazer o oposto. 

Com o PS3, a Sony fez tudo errado. Desde a concepção até a execução, tudo relacionado ao Playstation 3, foi um gigante passo para trás. E a Sony pagou caro por isso. 

Os múltiplos erros cometidos custaram a liderança de mercado que já durava mais de década. Mas quando você se encontra no fundo do poço, o único caminho é para cima.

Olha só para esse momento, ele definiu a história da oitava geração de videogames.

Como é que um simples gesto de passar um game de uma mão para outra, define uma geração de videogames?

Para entender a história de sucesso do PS4, a gente tem que entender em detalhes, tudo que deu errado com o Playstation 3.

E também, como a Microsoft, a concorrente direta da Sony, entregou de bandeja o caminho da vitória para o rival.

A Tempestade Perfeita

Os principais personagens dessa história do lado da Sony são Ken Kutaragi, Shuhei Yoshida, Andrew House, Jack Tretton e Mark Cerny.

Claro que não dá para esquecer do cara que entregou o jogo para a Sony, que deixou a bola quicando e pedindo me chuta pelo amor de Deus, o Don Matrick.

A gente vai falar sobre cada um deles durante esse vídeo, mas antes, bora entender rapidão o que foi que deu absurdamente errado com o PS3, e para isso, a gente tem que voltar no tempo para 2006.

500 e 600 dólares.

Esses eram os preços do PS3 estilo George Foreman Grill no lançamento. Esses valores são caros para os padrões de hoje, imagina como foram recebidos pelos jogadores em 2005, choque absoluto.

Mesmo com esses valores absurdamente altos para o consumidor, ainda assim o PS3 estava sendo vendido com preju, cada unidade custava entre 800 e 900 dólares para ser produzida.

A matemática é cruel. Logo de cara, antes de começar a ser vendido, o barquinho do PS3 começou a afundar.

👉✨Como SONY e PS4 Aplicaram O NOCAUTE Mais Rápido Da história? continua no Youtube!

PIRATARIA é Bela e Moral?

Ou um MAL NECESSÁRIO?

Hoje é dia da gente trocar ideia sobre um assunto cabeludo, que por bem ou por mal faz parte da nossa vida.

Semana passada abri uma enquete na aba comunidade, perguntando o que você pensa sobre pirataria e vocês votaram muito, mais de 5 mil votos, e muitos comentários.

A primeira coisa que a gente tem que entender é o que é pirataria. No contexto dos games, pirataria é o uso ou a reprodução não autorizada do trabalho de alguém, o que na prática significa copiar, sem pagar por isso.

Quem é que nunca pirateou alguma coisinha na vida. Um windows? Um Game? Uma Música? Um filme ou série? Um torrentizinho, uma gatonet, nada? Nadinha mesmo?

Se você é aquela pessoa que nunca fez uso de uma cópia não comprada, saiba que você é uma espécie rara, digna de estudos científicos.

Aqui, tudo é mais difícil.

Porque para nós que vivemos no Brasil, qualquer coisa relacionada a tecnologia é um problema. A combinação de baixo poder aquisitivo, com preços altos, e até mesmo a falta de acesso às coisas, é um terreno muito fértil para pirataria.

Pirataria é algo que existe no mundo todo, não é um problema local nosso, mas aqui a pirataria foi institucionalizada e de certa forma legalizada, durante a década de 70, por algo que se chamava lei de reserva de mercado.

Essa lei basicamente permitia que tecnologia estrangeira fosse copiada e vendida de forma legal em qualquer loja brasileira, usando uma técnica chamada engenharia reversa.. Se você quer saber dessa história em detalhes, já tem vídeo no canal sobre esse assunto.

Fato é que mesmo depois que a lei de reserva de mercado passou, a cultura da pirataria ficou, e embora não seja mais legal do ponto de vista da lei, ainda assim é uma das formas de consumo mais populares do multiverso, e não é difícil entender porque é assim.

Na enquete eu perguntei se a pirataria era bela e moral, um mal necessário ou totalmente errada, e a maioria considera pirataria como um mal necessário com 78% dos 5 mil votos, e rolou um empate técnico entre bela e moral e totalmente errada.

👉 Pirataria é bela e moral continua no Youtube!

A Origem CLANDESTINA de Super Smash Bros!

O Jogo NÃO AUTORIZADO pela Nintendo 😲

Em 99 o coro já estava comendo fazia tempo nos jogos de luta. 

Pensa em fatal fury, em KOF, em Street Fighter, em mortal kombat e em samurai shodown. Só que a Nintendo se recusava a entrar nessa briga. 

Talvez por achar que ver Mario espancando o Link, ou o Kirby dando uma surra na Samus não fosse algo que os fãs da Nintendo estivessem interessado em ver.

Porque ela achava que sua base de fãs, acostumada com a fofura das franquias nintendianas, não se interessariam pelo tipo de violência gratuita e competitiva que jogos de luta costumam oferecer.

Se dependesse apenas da Nintendo, Super Smash Bros no Nintendo 64 não existiria. Mas a gente sabe que esse jogo não só existe, como se transformou em uma franquia das mais bem sucedidas de todo catálogo de games da Nintendo.

Isso prova que o desejo da galera em ver Mario, Donkey Kong, Link, Samus, Yoshi, Kirby, Fox, Pikachu, Luigi, Jigglypuff, Capitão Falcon e o Ness se espancando para ver que é o melhor, era muito grande.

E onde tem desejo tem dinheiro, e onde tem dinheiro a Nintendo chega mais rápido que o Sonic.

Super Smash Bros foi publicado pela Nintendo, mas foi desenvolvido pela Hal Laboratory, um dos estúdios de desenvolvimento second party. Second Party é um termo dado a  um estúdio que nasceu fora da empresa, mas que faz parte da família, aquele famoso agregado.

Antes de ser unha e carne com a Nintendo A Hal Laboratory começou sua vida como desenvolvedora de games fazendo jogos para o MSX e para o Commodore VIC. Esses jogos do comecinho da Hal, são títulos que a gente não costuma se lembrar muito. 

Jogos como Rollerbal e Eggerland Mystery. Mas eventualmente a Hal começou a desenvolver para o Famicom da Nintendo, e esse foi um ponto de virada na sua história.

Porque essa parceria entre Hal e Nintendo nasceu em um momento em que a Nintendo precisava desesperadamente de jogos para o Famicom.

O Famiconzinho voava das prateleiras das lojas, e a Nintendo não dava conta de produzir games para ele sozinha. A Hal Laboratory ajudou a tapar esse buraco e a partir de 84 desenvolveu muitos títulos para o sistema de 8-bit da Nintendo. E nesse processo acabou ganhando um caminhão de boa vontade.

👉A história de Super Smash Bros, continua no Youtube!

O Que é MAIS IMPORTANTE nos GAMES?

Gráficos? Gameplay? FPS?

O que é mais importante em um game para você? Resolução Gráfica? Taxa de quadros por segundo?  Inteligência Artificial? História e Gameplay? Ou simplesmente a mais pura diversão?

Semana passada eu abri várias enquetes na aba comunidade do canal, e depois de mais de 14 mil votos, vocês me ajudaram a encontrar as respostas para essas perguntas e muito mais.

Hoje, juntos, nós vamos discutir tudo isso e quem sabe chegar a uma conclusão definitiva, ou apenas confundir mais nossas cabeças, e vai ser agora só vem!

E ae topzeros, tudo bem com vcs eu espero que sim? eu sou o ED e se você caiu de um ponto de interrogação por aqui, você caiu no Aperte Start, onde videogame é uma das melhores coisas da vida, então tamo junto e vambora!

Será que os videogames, ou melhor, a indústria dos videogames como um todo está indo na direção certa? Será que os interesses de quem produz os jogos estão alinhados com quem consome os jogos?

Você está satisfeito?

Qual é o seu grau de satisfação com o momento atual dos videogames?

Eu estou dividido, e já te conto porque me sinto assim. A primeira coisa que a gente tem que entender é que  a indústria dos videogames entrou em um ciclo bastante perigoso para sua própria saúde.

Já reparou que entre os jogos tripouei tem muito pouca novidade, e que quase todos usam a mesma fórmula? Isso acontece porque o custo de produção dos games está cada vez mais alto e o tempo de produção de um jogo está cada vez mais longo.

Essas duas coisas juntas criam uma situação que inibe as empresas de tentar inovar em qualquer coisa que seja, por puro medo de perder público e vender menos.. 

Para um jogo atrair o maior número de pessoas, ele tem que ser o menos específico e o mais genérico possível. 

Sabe aquela expressão que diz assim, “esse jogo é bom, mas não é pra todo mundo.” Na minha opinião, é exatamente isso que está faltando nos jogos AAA. 

Não ser para todo mundo, é o que torna um jogo diferente, e é por isso que jogos independentes, mais simples e com orçamento bem mais baixo, conseguem preencher um enorme buraco deixado pelas grandes desenvolvedoras de games.

👉O Que é MAIS IMPORTANTE nos GAMES? Continua no Youtube!

Explicando SWORD OF SODAN!

Porque Ele Passava a Espada?

E ae topzeros sejam bem vindos a mais um vídeo, eu sou o ED, você está no Aperte Start onde videogame é uma das melhores coisas da vida.

Durante os anos 80, o tema de fantasia medieval estava em alta. Um personagem chamado Conan, que virou um filme estrelado pelo arnoldão serviu de inspiração para muitos jogos daquela época, e um desses jogos foi Sword of Sodan.

Sword of Sodan nasceu no computador Amiga, mas nunca foi um jogaço, mas no amiga pelo menos ele tinha algo a oferecer. 

Esse é um game de 1988, sprites gigantes, gráficos super detalhados e muitos efeitos sonoros digitalizados.

Onde Sword of Sodan toshira forte é na jogabilidade. É muito ruim de jogar, com controles péssimos e detecção de colisão completamente embriagada.

Mas afinal quem é esse Sodan?

Primeiro eu tenho que confessar que sou contra a tradução de nomes de jogos. A Espada do Sodão fica um nome estranho pra preula por exemplo, além de estar sujeito a interpretações pornolentas.

Intuitivamente, porque você joga com personagens que lutam com uma espadas, e um deles é um homem, é muito fácil acreditar que o seu personagem é o tal do Sodão, mas não é nada disso.

O reino da Espada do Sodão é governado por um sujeito chamado Lordan, ou traduzindo para o portugês, Lordão. E o lordão tem um inimigo, o Zoras.

Um necromancer super maligno, que tem como objetivo de vida passar o rodo geral no reino. E se você não tá ligado, necromancer é um tipo de mago cujas magias servem para reanimar as criaturas que já foram para o além vida.

A primeira tentativa do Zoras de passar o rodo no reino deu ruim, ele foi derrotado pelo Sodão e sua espada, e o Sodão se tornou o grande herói do reino. 

Após a derrota, Zoras voltou para sua torre de ossos, e nela se trancou para estudar magias ainda mais poderosas, para que dá segunda tentativa, a passagem de rodo geral no reino desse boa.

E esse foi o caso, Zoras criou um exército apocalíptico super poderoso, e colocou o Lordão para correr. Mas antes de fugir,  Lordão mandou seus filhos gêmeos, Brodan e Shardan, ou traduzindo Brodão e Shardona, para viver com um fazendeiro rabugento, lá no fim do mundo.

Um fazendeiro, que por acaso do destino era mestre na arte da manipulação da espada, e ensinou para o Brodão e para a Shardona tudo que sabia, até que ambos crescessem e fossem fortes o suficientes para confrontar o necromancer Zoras.

👉Explicando SWORD OF SODAN! continua no Youtube!

MUITOS GAMES Inspirados em COMIDA!

Hoje Caloria não conta!

Você já jogou videogame consumindo um pacotão de salgadinho, daqueles que deixa a mão balanceadamente engordurada para pegar no controle, mouse ou teclado? E quem sabe do lado um litrão de refri para acompanhar?

Não é de hoje que comida e videogames são melhores amigos. Era só questão de tempo, para a comida se transformar em videogames também, e hoje eu quero te surpreender com uma seleção de games inspirados por comida.

Mas tem que ser inspirados por comidas do mundo real, então, por exemplo, não vale falar do Mario consumindo cogumelos, do Simon de Castlevania comendo frango de castelo, ou do pacman consumindo o que quer que seja que ele consuma.

Preparados para uma jornada videogamística deliciosamente carbolipídica? Espero que sim, porque vai ser agora, só vem!

SQUARE ENIX e Seu Futuro SOMBRIO!

(O Passado foi BRILHANTE)

Será que estamos testemunhando a Square Enix se desmantelando e indo para o buraco?

No meio de rumores que a Sony poderia comprar a empresa, para quem olha para a Square Enix hoje, parece que a empresa está desfazendo tudo que fez ao longo da sua história, e está se apequenando.

No comecinho do mês de Maio de 2022, rolou mais uma negociata daquelas que a gente está se acostumando a ver cada vez mais no mundo dos videogames.

A Square Enix vendeu Crystal Dynamics e Eidos Interactive, assim como muitas das franquias pertencentes a esses estúdios, por míseros 300 milhões de dolinhos.

Isso significa que Akuji the Heartless, Crash N’ Burn, Deus Ex, Gex, Legacy of Kain, Mad Dash Racing, Pandemonium, Project Snowblind, Solar Eclipse, The Horde, The Unholy War, Thief, Tomb Raider, Total Eclipse Turbo, Off-World Interceptor e Whiplash agora são time Embracer Group desde criancinha.

SQUARE ENIX e o seu O Futuro SOMBRIO! (O Passado BRILHANTE) é o assunto do vídeo de hoje, só vem!

Criptomoedas, Bitcoin, Mineração e NFT. 😲👊

Explicando e Simplificando

Criptomoedas, Bitcoin, Mineração e NFT são assuntos que podem confundir a vida.

Nesse video semi-roteirizado no Outro Start, eu tento explicar da forma mais simples possível, o que é cada uma dessas coisas. Será que vai dar boa? 😂

O TRÁGICO RECOMEÇO de Hideo Kojima!

O INIMIGO estava em CASA!

Penguin Adventure, Metal Gear e Snatcher.

Na primeira parte dessa história, descobrimos que o começo da vida de Hideo Kojima como desenvolvedor de games foi muito complicado.

Em poucos anos ele passou de unidade humana completamente desacreditado, para o status de “criador a ser observado com entusiasmo” dentro da Konami.

Quando a relação entre Hideo Kojima e Konami começou, nenhuma das partes sabiam no que estavam se metendo.

Uma relação conturbada, cheia de altos e baixos, e com um desfecho que poderia tranquilamente ser o final de um jogo do próprio Kojima, de tanto plot twist que tem.

A parte final da história de Hideo Kojima tá apenas começando, você está no aperte start é então tamo junto e vambora!

A FRANQUIA ALIENS! 😲😂

EXPLICANDO E RANKEANDO!

Topzeros, passando para avisar que tem VÍDEO NOVO no Outro Start! Dessa vez Explicando e Rankeando a Franquia ALIENS! Só vai! 👊

Ed no Retro Podquest

Entrevista no Canal do Souji Retroquest!

Participei de uma conversa com o meu amigo Souji do Canal Retroquest. O Retro Podquest é um projeto que ele está começando, e fiz questão de participar.

Quem gosta de videogame, tenho certeza que vai curtir demais a conversa.